Todo Gerente de Projetos precisa da Gestão de Riscos – A experiência do Presidente do PMI SE, Hiram Costa

Recentemente realizei a prova do PMI-RMP (Risk Management Professional) e, motivado a alguns pedidos, contarei um pouco da experiência com a prova, como foi a preparação e a prova em si.

Como parte do meu planejamento estratégico pessoal e profissional, uma das iniciativas planejadas para 2017, no braço de desenvolvimento profissional > certificações técnicas, seria a certificação PMI-RMP, que, segundo o site do PMI Brasil, “é uma resposta ao aumento da complexidade e diversidade, e do uso do gerenciamento de projetos no mundo. Reconhecida e exigida mundialmente, a certificação PMI-RMP® preenche a necessidade de um especialista em gerenciamento de risco no projeto.

Ela reconhece sua expertise e competência para avaliar e identificar riscos, mitigar ameaças e aproveitar as oportunidades dos projetos, enquanto ainda possui habilidades e conhecimento em todas as áreas de gerenciamento de projetos. “

Para submeter a elegibilidade, o candidato precisa, segundo o Handbook da Certificação PMI-RMP, cumprir alguns requisitos, sendo eles:

  • Um curso de quatro anos (bacharelado ou o equivalente global);
  • Pelo menos 3.000 horas de experiência de gerenciamento de riscos de projetos;
  • 30 horas de educação em gerenciamento de riscos do projeto.

OU

  • Um diploma de ensino médio (ou equivalente global);
  • Pelo menos 4.500 horas de experiência de gerenciamento de riscos de projetos;
  • 40 horas de educação em gerenciamento de riscos o projeto.

Se você não atende os requisitos da PMI-RMP®, talvez você queira saber mais sobre certificação de Profissional Técnico Certificado em Gerenciamento de Projetos (CAPM)®.

Para me candidatar submeti a candidatura para elegibilidade, no site do PMI.org, em pouco tempo já estava com o ID Elegibility e marquei a prova.

Com 170 (cento e setenta questões) a serem respondidas, no idioma inglês, duração máxima da prova de 3:30h, o candidato, na data, horário e local marcados, deve comparecer para realizar a prova. Seu nível de dificuldade é intermediária e caso você não tenha um nível mínimo de inglês, com certeza sentirá maiores dificuldades. Diferentemente da prova de certificação CAPM (Certified Associated Project Manager) do PMI (Project Management Institute), que caem questões diretas e objetivas, a prova PMI-RMP, traz algumas questões objetivas e também situacionais, para testar a experiência e aptidão ao uso de técnicas, ferramentas e conhecimentos dos domínios do gerenciamento de riscos, além disto, sua relação e integração com as demais áreas de conhecimentos existentes.

De acordo com o Practice Standard for Project Risk Management – Padrão de Riscos do PMI – e Guia PMBOK 5a Edição, a área de conhecimento Gerenciamento de Riscos, contém 6 (seis) processos, sendo que 5(cinco) são do grupo de processos Planejamento e 1 (um) processo é do grupo de processos Monitoramento e Controle, respectivamente, Planejar o gerenciamento de riscos, identificar os riscos, Realizar a análise qualitativa, realizar a análise quantitativa, planejar as respostas aos riscos e controlar os riscos.

A prova é dividida, segundo o PMI Risk Management Professional (PMI-RMP) Handbook, em 5 (cinco) domínios com pesos e tasks distintos. O primeiro domínio é o Estratégia de Riscos e Planejamento, o Domínio 2 (dois) trata de engajamento das partes interessadas, domínio 3 (três) do Processo de facilitação do processo de riscos, domínio 4 (quatro) de monitoramento e comunicação de riscos, sendo o 5 (cinco) e último domínio, cobrado pelo exame, a parte de aplicar análises especializados de risco.

A minha preparação iniciou-se no dia 27 de abril e então, juntamente com outro amigo, fizemos reuniões semanais com intuito de explorar o material e cursos investidos, compartilhar opiniões, revisão das dúvidas e realizar exercícios. Como são 6 (seis) processos nesta área de conhecimento, montamos em nosso planejamento, estudar 1(um) processo por semana e em 6 (seis) semanas já teríamos passado por todos os processos. Sempre, às quintas-feiras, nos reunimos para resolver exercícios, revisar o processo que estudamos durante a semana e eliminarmos as dúvidas que surgissem.

Durante a preparação para o exame, estudamos pelo Guia PMBOK 5a edição, Standard de Riscos do PMI, 3a edição; além de ter adquirido curso preparatório com aulas explicativas e exercícios, através do site Simplelearn, simulados no site PMStar e livro da Rita Mulcahy, Risk Management Tricks of the Trade for Project Managers.

Como esperado caíram muitas questões de Simulação de Monte Carlo, cerca de 15 (quinze) questões, Valor Monetário Esperado (VME), árvore de decisão (decision tree), somando cerca de 20 (vinte) questões. Caíram também questões de outras áreas de conhecimento, principalmente, aquisições (cerca de 5 questões relacionada à contratos), escopo, tempo, custo e comunicação, estas somam-se cerca de 20 (vinte) questões, aonde precisávamos entender o contexto da questão, identificar qual área de conhecimento estávamos tratando e ai sim, marcar a melhor alternativa. Ainda caíram diversas entradas, ferramentas e técnicas e saídas dos 6 (seis) processos da área de conhecimento gerenciamento de riscos. Como a prática e a teoria mostram, quanto mais você estuda e aplica gerenciamento de riscos maior a eficiência, índices de sucesso dos seus projetos e assertividade quanto às estimativas, análises e respostas.

Para a prova PMI-RMP, das 170 (cento e setenta) questões do exame, 20 (vinte) questões não computam pontos. Semelhantemente as outras credenciais do PMI, elas servem para nivelar a prova e segundo o PMI “são questões pré-teste, ou seja, que não afetam a pontuação e são utilizadas como uma forma efetiva e legítima de teste da validade de questões em futuros exames. Todas as questões são dispostas aleatoriamente ao longo do exame.”

Só para relembrá-los, recentemente o PMI fez uma mudança na prova, aonde os 15 (quinze) minutos iniciais, que antes eram utilizados para realizar alguma anotação de fórmulas ou processos nos rascunhos, espécie de Braindump, não podem mais ser utilizados para este fim. Qualquer anotação só pode ser realizada após o início da prova e término das explicações iniciais.

Como experiência das provas de certificação anteriormente realizadas, utilizei a técnica Pomodoro para estudos e minha velocity era: estudar 4(quatro) ciclos de 25 (vinte e cinco) minutos com intervalos de 5 (cinco) minutos e após o 4o ciclo de estudos, descansava 15 (quinze) minutos. Durante o período de estudos, cheguei a rodar 12 (doze) pomodoros por dia, média de 5 (cinco) a 6 (seis) horas de estudos diários. Algumas dicas que deixo, baseado na minha experiência com estudos para provas de certificação são:

1-   Estude todo dia. Rode 1 (um) ou 10 (dez) pomodoros diariamente, mas rode;

2-   Faça 2 (dois) ciclos de estudos. O primeiro ciclo de estudos, leia todo o material, fazendo simulados específicos para cada processo e ao final, um simulado semelhante a prova, com 170 (cento e setenta) questões. No segundo ciclo de estudo, foque nas lacunas de seu conhecimento. Quais foram os domínios e tasks que você mais errou no simulado? Se preocupe em revisar o conteúdo destes domínios e faça novos exercícios, exercícios e simulados;

3-   Como você tem em média 72 (setenta e dois) segundos por questão, trace uma estratégia durante a prova para conseguir otimizar o tempo de respostas e ter uma sobra em cada grupo de questões para ir ao banheiro ou beber água, caso necessário. Lembro-lhes, o relógio não para, a cada entrada e saída o procedimento de revistas e assinaturas será realizado para controle do centro de testes, o que, mesmo sendo rápido, levará alguns preciosos minutos da prova.

Espero que este breve artigo auxilie na conquista da certificação PMI-RMP, que você consiga esta tão importante certificação profissional, consiga obter sucesso e alcance os benefícios esperados.

As organizações e os profissionais que fazem um adequado gerenciamento de riscos, conseguem:

1-   Contribuir para a potencialização da governança;

2-   Tornam mais probabilísticas as estimativas, visto que incluem os riscos nelas, parando de “tentar adivinhar a duração ou orçamentos exatos”, que quase nunca acontecem;

3-   Conseguem identificar, analisar e definir as melhores estratégias para os riscospriorizados;

4-   Conseguem calcular reservas de gerenciamento e contingência com maior eficácia, tornando mais realistas suas estimativas;

5-   São proativos, eliminando ou diminuindo as ameaças e potencializando o alcance das oportunidades.

Finalizando, deixo estas frases para que você reflita sobre a importância do gerenciamento de riscos para seus projetos e para sua organização. Jorge Paulo Lemann disse “O maior risco é não tomar riscos, não dá para ficar sem tomar nenhum risco, senão você não faz nada”, já o grande Peter Drucker “Solução dos problemas apenas restaura a normalidade. Aproveitar oportunidades significa explorar novos caminhos” e, para encerrar, Walter Wriston brilhantemente diz “Tudo na vida é gerenciamento de risco, não sua eliminação”. Conheça mais sobre gerenciamento de riscos, contribua com a governança da organização, potencialize as oportunidades, elimine as ameaças e tenha bons planos e estratégias caso eles aconteçam. Chega de ser pego de surpresa!

Referências:

https://brasil.pmi.org/brazil/CertificationsAndCredentials/PMI-RMP.aspx. Acessado em: 01 de junho de 2017.

Um Guia de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK) 5a Edição, Project Management Institute, 2013;

The PMI Practice Standard for Project Risk Management, 3a edition, Project Management Institute, 2009.

Sobre a Consultants and Project Manager Associates (CPMA):

Consultants and Project Manager Associates é uma empresa que atua com o Dinamismo Estratégico das organizações, prestando serviços especializados nas áreas de Gestão Estratégica, Implantação, reformulação e consolidação de PMO(Escritórios de Projetos) juntamente com o PMO Value RingGovernança e Compliance, Gerenciamento de Portfólio, Projetos e Riscos, acelerando a maturidade organizacional.

Voltar